4 de ago. de 2017

Cadê a Maternagem Perfeita?


Eu gostaria muito de poder dizer que sou uma mãe que exerce a maternagem de forma impecável. Gostaria de dizer que falo manso durante 24 horas, que você pode chegar na minha hora em qualquer hora e vai encontrá-la arrumada, que rolo no chão todos os dias com as crianças e faço pratos saudáveis em todas as refeições. E você?

 Estou tão frustrada nesse exato momento...Sabe quando você se olha e começa a chorar, sentindo o peso e a frustração de não dar conta de algo? Ontem foi um dia desses. Tem acontecido tanta coisa e eu não consigo alcançar tudo. Sei que não preciso e nem devo almejar isso, mas quem disse que meu cérebro e coração de mãe entende? Vou explicar pra vocês...

As crianças se recuperaram de uma longa semana onde os três mais velhos estiveram doentes, depois eu fiquei doente e bum! Papai precisou ser internado. As crianças voltaram a rotina escolar e período de provas começou. Uma amiga ficou com eles durante umas duas horas para que eu visitasse meu marido, até aí, tudo ok. Quando minha amiga diz que ajudou Lídia a fazer um trabalho da escola que estava feito mas não corretamente, sinto um baque... Lembro perfeitamente do momento em que Lídia disse: "Mãe, me ajuda a fazer esse trabalho por que não estou entendo?" Na hora, eu estava tentado colocar Linda pra dormir e disse que ajudaria mais tarde. O dia correu, fui pro hospital e não a ajudei. Meu coração em frangalhos, agradece a ajuda da amiga mas me sentindo péssima por não ter ajudado a minha filha. 

 Resolvi desabafar com vocês porque sei que muitas mães vivenciam situações parecidas, enquanto lutam por exercer a maternagem da melhor forma, sempre fica faltando cobrir alguma área. E nos cobramos tanto... Eu estou me cobrando agora e por isso falo com propriedade! É tão difícil exercer uma maternagem perfeita. Terão muitos momentos de frustrações, de choros, de vontade de correr até sumir de vista (só não corro porque fico cansada só de pensar na ideia! Hahaha...), de se perguntar "onde foi que eu errei?", de se sentir uma zero à esquerda... Sinto muito em dizer, mas esses momentos vêem inclusos no "PACOTE DE MÃE".

 Eu choro, lambo minhas mágoas e me recomponho pois lembro de algo que li uma vez e foi um acalento ao meu coração. O texto de uma psicóloga dizia que é saudável para os filhos, verem que seus pais não são perfeitos, que eles falham, reconhecem os erros e pedem desculpas. Faz os filhos entenderem que os pais são humanos, como eles, diminuindo a distância entre pais e filhos. 

 Acordei e durante o café, pedi desculpas a Lídia por não ter ajudado quando ela precisou. Ela respondeu tranquilamente "Tudo bem, mãe! A tia me explicou e eu entendi". Ela levou tranquilamente aquilo, enquanto eu dormi chorando (Eita mãe! Rsrs...) Mas sabe o que aprendo com o texto da tal psicóloga? Que eu terei a oportunidade de corrigir minha falha e ajudá-la na próxima vez. A maternagem nos proporciona isso: aprender com os erros e construir novas oportunidades. 

 Mães, nós não somos e nem precisamos ser perfeitas massssss... sempre nos cobraremos por isso, faz parte! É uma luta constante do que sabemos contra o que sonhamos ser, a tal da Perspectiva versus Realidade, sabe? Então, curta sua "dor de cotovelo maternal" (fiz isso ontem!), respire, durma e acorde com as forças renovadas para novos desafios. Preferencialmente, respirando e repetindo: 

Não existe maternagem perfeita, existe uma mãe cheia de amor e coragem para aprender a dar o melhor de si! 
Um dia de cada vez! Um desafio por vez!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Diario de Maternidade - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Acid Assessoria.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo