29 de set. de 2016

Como as crianças estão reagindo com a gravidez



 Quando engravidei da Lídia, Isaque tinha apenas 11 meses. Quando Elisa nasceu, Isaque e Lídia tinham 3 e 2 anos. Eram bem pequenos e não tinham aquele entendimento da situação em que estavam. Hoje, temos Isaque com 8, Lídia com 6 e Elisa com 4 anos. Uma diferença bem maior de idade que nossa pequena Linda, que está para chegar. Eu pensei que as coisas seriam até mais fáceis pelo fato deles já terem o convívio entre eles e que não seria "nada demais" acrescentar mais uma menininha a essa turma, mas eu estava enganada...

 Mesmo Isaque sendo tão pequenino quando Lídia nasceu, não deu problema no quesito ciúmes e acho que soubemos, eu e Júlio, dividir bem a atenção para os dois. Quando veio Elisa, Isaque já estava de boa no quesito "dividir a atenção" e Lídia sempre foi muito bem resolvida desde novinha, então sem grandes problemas novamente. Agora chegamos ao ponto "X" do nosso post: ELISA. Até alguns meses ela era a caçula, a gaúchinha que os irmãos mais velhos tinham mais zelo por ser a menor. Mas agora a mamãe não pode mais pegar no colo, devido ao barrigão e as dores que sinto, nem deixar que durma em nossa cama pelo mesmo motivo e outras mudanças vão acontecendo e ela não está gostando muito disso.

 No primeiro trimestre, achamos que ela estava assimilando bem a novidade mas no segundo trimestre da gestação as coisas foram mudando. A menininha que sempre foi "pra frente", que falava corretamente e que fazia de tudo para "não ficar pra trás" em relação aos irmãos, agora faz vozinha de bebê, faz birra em casa, na escola e na igreja e está levaaaaaadaaaa... Temos que respirar milhões de vezes para mantermos a paciência porém, os irmãos não tem essa mesma maturidade. Sim, até Isaque e Lídia andam perdendo as estribeiras com ela! Rsrsrs... 

 Qual a solução??? Paciência e muuuuuuuuita conversa com  nossa gaúchinha. Temos explicado que ela não é mais bebê, que agora é uma mocinha e vai ajudar a mamãe a cuidar da Linda. Ela é super amorosa conosco, abraça e beija minha barriga todos os dias e faz carinho em mim quando não me sinto bem. Sabemos que ela não sabe expressar o que sente e essas crises são a forma que tem de nos dizer que está sentindo a mudança.

 Nosso Isaque é um rapaz já, né? Percebi uma grande mudança nele nas primeiras semanas de gravidez. Passou a se preocupar mais comigo e a observar mais as coisas. É meu super companheiro e dedura as irmãs o tempo todo! Kkkkkkk... Mas até nele percebi uma mudança de comportamento, ou será que é da idade? Não sei, mas o rapaz resolveu ser o implicante da casa e tira o sossego das irmãs o dia todo! Lídia ou Elisa, quem estiver na mira será alvo das sapequices do garotão. Isso resulta em brigas, gritarias e até lágrimas. A mãe pira!

 Lídia é muito carinhosa e não temos visto grandes mudanças de comportamento. Ela sempre foi muito agarrada a mim e continua assim. As brigas com os irmãos continuam no "padrão" de antes. Rsrsrs...

 Não falamos e nem permitimos piadinhas do tipo "tá perdendo o lugar" e etc... Acho esse tipo de comentário ridículo e insensível. Quem tem filhos e já passou por isso, sabe o quão impróprio é esse tipo de colocação. Cada um é amado e especial em nossa família e fazemos de tudo para que eles percebam e sintam isso.

 É fácil lidar com as mudanças? Não! Temos um manual ensinando como agir? Também não! A mãe surta? Quase sempre! O pai fica numa sinuca de bico? Fica sim! Mas somos uma família e vamos passar por mais essa fase juntos! Linda em breve estará conosco e eles vão perceber que nosso amor não foi dividido, ele se multiplicou!

Fotografia: Patrik Silveira

4 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Diario de Maternidade - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Acid Assessoria.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo